Dinotopia - O Mundo Fantástico de James Gurney | Fantástica Cultural

Dinotopia - O Mundo Fantástico de James Gurney
G A L E R I A Arte & Ilustração

Dinotopia - O Mundo Fantástico de James Gurney

Bárbara Lima ⋅ 12 outubro 2019
Um universo fantástico onde humanos e dinossauros convivem em harmonia, em uma mescla improvável entre estilos históricos e a beleza exótica de criaturas extintas há milhões de anos.

Dinotopia é a obra mais conhecida de James Gurney, sendo, provavelmente, a melhor condensação de sua carreira. Nela, é retratado um universo fantástico onde humanos e dinossauros convivem em relativa harmonia. Em meio a uma mescla de motivos vitorianos e da beleza exótica de várias espécies extintas há milhões de anos, os personagens em Dinotopia aventuram-se em cenários e situações baseadas nos estudos de Gurney em arqueologia e paleontologia, tudo detalhadamente ilustrado pelo próprio autor.

Gurney nasceu em 1958, nos Estados Unidos. Tendo estudado ilustração na Art Center College of Design, Califórnia, Gurney tornou-se ilustrador freelancer no início dos anos 80, adotando um estilo realista similar ao dos artistas da chamada Era de Ouro. Esteve envolvido no filme fantástico de animação Fogo e Gelo, coproduzido por Ralph Bakshi e Frank Frazetta, e em trabalhos para a National Geographic, tendo produzido diversas capas para livros de fantasia e ficção científica.

Inspirado por suas incursões em arqueologia e paleontologia, lançou em 1992 o livro Dinotopia: Uma terra à parte do tempo. O grande sucesso da obra levou à criação de vários outros livros no mesmo universo, e a série foi eventualmente adaptada para a televisão. Em 2014, Gurney foi homenageado e seu nome foi atribuído a uma nova espécie de dinossauro: o Torvosaurus gurneyi (um carnívoro da era jurássica com mais de cinco metros de altura).

Abaixo, segue uma amostra das ilustrações de Dinotopia (todas pinturas a óleo):

Compartilhar:
Tags:

· arte
· dinossauros
· fantasia
· ilustração
· James Gurney
· literatura

Bárbara Lima

Artista Plástica & Designer