O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos? | Fantástica Cultural

O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos?
O P I N I Ã O Ideologia & Política

O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos?

Paulo Nunes ⋅ 18 julho 2020
"Isso acontece por causa do machismo, porque o mamilo feminino significa sexo e o masculino não significa nada. Essa diferença não deveria existir." - Raphaela Filippetto

O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos? Ideologia & Política sexualidade gênero censura liberdade de expressão Figura do Slideshow #1 A questão é antiga, mas o problema continua: como lidar com o tabu dos mamilos femininos na mídia e nas redes sociais? Apesar de todas as mudanças sofridas pela sociedade nas últimas décadas, os três integrantes principais deste debate interminável continuam os mesmos: os conservadores, que sacralizam a sexualidade e buscam encobri-la; os "liberados" (liberais ou progressistas), que entendem essas restrições de imagens como censura injustificada; e os institucionalmente comprometidos (empresas ou governos), que tentam agradar a todos, na vã esperança de não ofender ninguém.

Entre as diversas polêmicas relacionadas à censura de imagens do corpo, a questão dos mamilos é talvez a mais notória. Todas as mídias abertas e redes sociais praticam alguma forma de censura à exposição dos seios, mas com parâmetros estranhos: como o uso de decotes é comum, assim como de biquínis, a aparição dos peitos em si não poderia ser censurada, obrigando os censores a se concentrar apenas nos mamilos. E paradoxalmente, alguns mamilos masculinos são idênticos aos femininos, de modo que a censura, nesses casos, não se daria pela imagem do mamilo em si, mas pelo sexo biológico do corpo que o carrega. Bastante bizarro.

O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos? Ideologia & Política sexualidade gênero censura liberdade de expressão Figura do Slideshow #2 Há, sem dúvida, argumentos de todos os lados, de posições bastante diversas. Uma ideia em particular chama atenção: a noção de que os peitos de homens e mulheres devem ser socialmente equivalentes, porque os seios não são zonas sexuais, e a sociedade e a legislação deveriam tratá-los da mesma forma.

Das incontáveis declarações alinhadas com este raciocínio, vejamos algumas:

Isso acontece por causa do machismo, porque o mamilo feminino significa sexo e o masculino não significa nada. Essa diferença não deveria existir. - Raphaela Filippetto, publicitária, em entrevista para a UOL

A questão poderia ser: por que temos um biquíni e os homens têm uma sunga? Os seios femininos sempre foram vistos como uma parte sensual do corpo feminino, ninguém está preocupado ou interessado nos mamilos masculinos. - Mariangela Setti, cientista da computação e doutora pela UTFPR, em entrevista para a UOL

Os homens podem mostrar os seus mamilos, as mulheres são banidas. Apoie TODOS os gêneros! Vamos mudar essa política! - Autora do perfil @genderless_nipples no Instagram, que promove o fim desta censura

Meus seios não são órgãos sexuais. Antes, são órgãos feitos para alimentar um bebê! É MACHISMO eu não poder expor meus seios da forma que eu quero em uma plataforma digital e ela apagar minha foto por isso, enquanto um homem pode posar sem camisa e ser tratado normalmente. - Cleo Pires, atriz e cantora

Estas reivindicações são bastante razoáveis. O problema é que, além de as acusações de machismo não serem substanciadas (algo típico), assume-se erroneamente que os peitos masculinos e femininos são equivalentes.

Eles não são.

Considere, por exemplo, um homem que acaba de terminar seu relacionamento com a namorada. A ex, inconformada, decide postar uma foto íntima do homem nas redes sociais, em que ele aparece sem camisa, com o peito à mostra. Agora imagine a mesma situação, invertendo os sexos. Seriam estes dois casos... equivalentes?

O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos? Ideologia & Política sexualidade gênero censura liberdade de expressão Figura do Slideshow #3 Na segunda situação, o homem pode até mesmo ser preso por revenge porn, por expor uma imagem íntima e sensível da ex-namorada. E absolutamente todas as pessoas que defendem a paridade dos mamilos masculinos e femininos estariam de acordo com uma punição para este homem. Mas se fosse a mulher a divulgar uma foto do homem sem camisa, isso não seria nem crime, nem moralmente condenável. Seria tão banal que ninguém sequer se questionaria sobre como o homem estaria se sentindo com a divulgação da imagem. Como isso é possível, se o peito masculino e o feminino são ambos equivalentes e não sexuais?

Na verdade, não se trata de descobrir se os peitos femininos são ou não órgãos relacionados à sexualidade (embora qualquer um saiba que eles obviamente são, bastando considerar o comportamento sexual das pessoas). O ponto importante é que as mulheres, em nossa cultura, preferem (em geral) não expor essa região em público. E é algo muito comum em várias sociedades. Ainda que seja um costume puramente cultural, ele emerge de fatores psicológicos típicos das relações humanas, como o desejo da mulher de se proteger do olhar sexualmente interessado de homens estranhos. É instintivo ao homem heterossexual atrair-se sexualmente ao observar os seios femininos em qualquer cultura, O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos? Ideologia & Política sexualidade gênero censura liberdade de expressão Figura do Slideshow #4 e também é natural que as mulheres em idade fértil, sabendo-se desejadas por muitos dos machos, tendam a ser mais seletivas e cuidadosas na exposição física. Talvez pelo desconforto causado, muitas mulheres atribuem uma conotação negativa (ou machista) ao interesse que os homens lhe dedicam (quando a atração não é recíproca), e mesmo que o homem em questão não tente qualquer aproximação. De qualquer forma, são milhares os exemplos de outras culturas que se adaptaram de forma diferente, sem o tabu dos seios, como as tribos indígenas da América do Sul, por exemplo.

Assim, a decisão de manter ou demolir o tabu dos mamilos é uma questão essencialmente cultural, que depende das preferências de uma sociedade. Em especial, deve-se considerar que nem todas as pessoas em uma mesma sociedade terão as mesmas preferências, e o arranjo deve ser o mais justo para todos. Havendo conflitos, deve-se recorrer à influência social e ao debate honesto.

E por isso mesmo, fingir que homens e mulheres lidam da mesma forma com seus corpos não é uma maneira adequada de avançar a pauta. Como já coloquei acima, as mulheres se reservam o direito de punir homens (legalmente ou moralmente) por exporem a imagem de seu corpo sem consentimento, embora esta regra, no caso do peito masculino, não exista (e nem teria cabimento existir). Isto, por si só, atesta que as mulheres desejam que a zona dos seios seja tratada como algo íntimo e privado, quando lhes convêm. É um desejo perfeitamente razoável, mas traz consigo a premissa de que a zona do peito é mais O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos? Ideologia & Política sexualidade gênero censura liberdade de expressão Figura do Slideshow #5 íntima para as mulheres do que é para os homens, sendo a exibição desta parte do corpo algo mais sensível no caso feminino.

Por fim, resta salientar que também não se trata de machismo, ou controle do corpo feminino, apesar de esta acusação ser tão suculenta para as feministas radicais que, para muitas delas, é quase impossível resistir a seu uso em qualquer debate. A depender de algumas correntes do feminismo, expor os seios femininos e não expor os seis femininos são ambas ações machistas. Mas as razões para as restrições são outras, sendo pudor, compartimentalização do erótico (isto é, separar o erotismo das outras áreas da vida cotidiana) e conservadorismo as principais. Assim, seria mais produtivo empreender o debate anticensura nesses termos, de forma honesta e razoável.

Pessoalmente, eu sugeriria que todas as plataformas digitais adotassem um modelo de filtragem opcional. Assim, cada usuário poderia ver apenas o que lhe interessa, e ninguém seria impedido de postar o que deseja (é claro que, ao extremo, este modelo poderia gerar problemas para as empresas, caso uma parcela muita grande dos usuários passasse a procurar as plataformas pela pornografia, distorcendo a imagem das marcas e alimentando sua má-reputação).

Enquanto isso, se você quer muito, mais muito mesmo, divulgar seus dotes peitorais pela internet, pode sempre recorrer ao WhatsApp. Só confirme o interesse nos seus nudes antes de mandá-los.

O Paradoxo dos Mamilos: Por que os seios femininos continuam sendo perseguidos? Ideologia & Política sexualidade gênero censura liberdade de expressão Figura do Slideshow #6

Compartilhar:
Tags:

· censura
· gênero
· liberdade de expressão
· sexualidade

Paulo Nunes

Escritor, editor, historiador e pesquisador