MiniCrônicas | Fantástica Cultural

fantástica cultural
As 10 Máximas da ContraCultura

MiniCrônicas



16 mar. 2022Link Permanente
palavras-chave:educaçãofanatismofilosofiainteligêncialógicaverdadeBertrand Russell

Não tenha certeza absoluta de nada

M I N I C R Ô N I C A S

Em uma das máximas de Bertrand Russell, em seu célebre decálogo, o filósofo aconselha: Não tenha certeza absoluta de nada. A razão é simples: manter uma certeza absoluta é julgar-se infalível. É crer que, apesar das limitações da cognição humana, as chances de se estar errado são zero.

O remédio para a tendência humana às certezas absolutas, ou mesmo as infundadas, é o ceticismo. Ele permite ao indivíduo filtrar as informações que recebe, desempenhando um verdadeiro pensamento crítico.

Para muita gente, porém, a palavra ceticismo tem uma conotação negativa. Por que será? Será o desconforto do ego humano, ao ser confrontado com o fato de ter estado errado? Como dizem, "é mais fácil enganar uma pessoa do que convencê-la de que foi enganada".

Se quiser buscar realmente a verdade, é preciso que pelo menos um vez em sua vida você duvide, ao máximo que puder, de todas as coisas. — René Descartes

O ceticismo é uma das posturas mentais mais eficientes contra o fanatismo, seja religioso, seja ideológico. No cotidiano, ele muitas vezes previne as pessoas de serem enganadas, ajudando-as a fazer melhores escolhas, com base na lógica e em evidências. Com uma mentalidade cética, o indivíduo é capaz de entender melhor a realidade à sua volta, pois não aceitará qualquer explicação que lhe venha à cabeça ou que outras pessoas lhe forneçam.

Certezas absolutas, por outro lado, são aquelas que não podem ser alteradas por meio de evidências. São aquelas crenças que nenhuma prova do mundo pode desfazer. Elas impedem o indivíduo de evoluir intelectualmente. E é bastante razoável que tanto religiosos quanto agnósticos ou ateus adotem esse ceticismo em relação a qualquer crença absoluta: não sendo o ser humano um deus, não lhe caberia, por lógica, julgar-se incapaz de erro em qualquer assunto.

A vida é muito complicada, e navegar por ela com coordenadas falsas pode ser desastroso.

E sempre se pergunte: e se eu estiver errado?


Paulo Nunes
1 mar. 2022Link Permanente
palavras-chave:ceticismocomportamentoeducaçãoensinoignorânciailusãointeligência

Por que o ser humano foge da verdade?

M I N I C R Ô N I C A S

Infelizmente, o ser humano não evoluiu para ser racional. Ele evoluiu para satisfazer suas pulsões naturais. Para isso, ele desenvolveu a capacidade de racionalizaros fatos, assim como seus medos e paixões, criando narrativas (verdadeiras ou falsas) para justificar seus atos e para explicar, às vezes de forma equivocada, a realidade.

O antídoto para essa tendência à irracionalidade é seguir o exemplo de Spock: viver com base nas evidências e buscar a verdade, seja ela qual for, e independentemente de ela nos agradar ou nos beneficiar. As consequências de estar errado e persistir no erro podem arruinar uma vida, ou milhares de vidas, dependendo do nível de influência do indivíduo.

Nosso cérebro, porém, quer nos tornar escravos de nossas emoções e preconceitos, devido à forma como evoluímos: nossa mente quer nos convencer de que sempre estamos certos, e que se sentimos estar certos, é porque estamos certos.

Como o mundo é caótico e perigoso, o ser humano anseia acreditar que entende a realidade à sua volta, para se sentir seguro. Mas o cérebro é preguiçoso, e às vezes aceita qualquer explicação convincente como a palavra final. E como essas compreensões do mundo servem de alicerce para a autoconfiança das pessoas, elas tendem a rejeitar qualquer ideia contrária à sua.

E essa realidade humana só tem piorado na cultura contemporânea, uma era em que os indivíduos têm se tornado cada vez mais psicologicamente sensíveis a ideias contrárias às suas, apresentando profunda fragilidade intelectual. Mas se o ser humano busca evoluir e se tornar mentalmente resiliente, não lhe cabe fugir amedrontado de meros fatos da realidade, como se o conhecimento por si só fosse capaz de feri-lo.

Para escapar ao máximo dessa armadilha da imaturidade intelectual, aprenda a desvincular o que você sabe daquilo que você é: assim, você poderá trocar de ideias livremente quando descobrir que está errado, de forma flexível e sem ferir seu orgulho, conforme novos fatos e explicações venham à luz.


Paulo Nunes
27 fev. 2022Link Permanente
palavras-chave:comédiaculturacultura do cancelamentohipocrisiahumorintolerâncialiberdade de expressão

O politicamente correto é uma piada

M I N I C R Ô N I C A S

Assim como os censores da Inquisição, o ativismo do politicamente correto tem varrido o humor da cultura, coagindo comediantes e humoristas a se autocercearem para evitar a ruína de suas carreiras. O humor satírico, irônico, perspicaz, tem sido substituído por uma forma anêmica e insincera de fazer graça.

A inserção da militância no humor é sua sentença de morte: toda ou qualquer graça é-lhe esvaziada pelo julgamento severo e intolerante da ideologia. A brincadeira acaba, o prazer desaparece.

Nós vivemos numa geração de pessoas emocionalmente fracas. Tudo tem que ser abafado porque é ofensivo, inclusive a verdade. — Keanu Reeves

E no entanto, o riso da ironia, do deboche, da sátira ou do nonsense muitas vezes é a única forma que temos de nos mantermos sãos diante dos desafios da vida:

O humorismo alivia-nos das vicissitudes da vida, ativando o nosso senso de proporção e revelando-nos que a seriedade exagerada tende ao absurdo. — Charlie Chaplin

Talvez seja por isso que o politicamente correto abomina que riam de seus preceitos: eles são de todo risíveis, ridículos, e basta uma gargalhada coletiva e franca às custas de sua ideologia para que ninguém mais o leve a sério.

O humor provocativo entre indivíduos, aliás, é um sinal de que as pessoas confiam umas nas outras, a ponto de se ofenderem de brincadeira, e rirem juntas, pois sabem que são aliadas.

É no excesso neurótico de autocensura, de elogios forçados, de concordância fingida, que se formam conflitos interpessoais. Vive-se com medo de pisar fora da linha; forma-se um ambiente social tóxico de paranoia e falsidade. Ao castrar o humor, castra-se a sinceridade; as pessoas vivem atrás de máscaras, incapazes de desenvolver verdadeiras conexões.

Se você tiver uma reação emocional a tudo o que lhe for dito, você sempre sofrerá. Se as palavras controlam você, isso significa que qualquer um pode controlá-lo. — Bruce Lee

Sejamos francos: a vida é absurda. Ria dela, ria de si mesmo, não leve tudo tão a sério, e aproveite a viagem.


Paulo Nunes





Merlin Capista de Livros Sobre Merlin - Capista de Livros Como Publicar seu Livro ou E-Book - Merlin Capista Criação de Capas de Livro - Merlin Capista Diagramação de Livro - Merlin Capista Portfólio de Capas de Livro - Merlin Capista Portfólio de Ilustrações e Design - Merlin Capista Orçamento - Merlin Capista de Livros Contato - Merlin capista de Livros